Tempo da maturidade

Especialista do comportamento feminino, Alice Schuch, defende que na maturidade experimenta-se as melhores condições da vida.

A escritora, pesquisadora e especialista em comportamento feminino, Alice Schuch fez um relato lindo e poético sobre a maturidade, comparando essa fase da vida, lindamente a uma sobremesa. Tenho que concordar, até porque sobremesa é deliciosa, é o que arremata, com chave de ouro, uma refeição. Por melhor que seja o almoço ou o jantar, se não tiver sobremesa fica pobre, fica faltando alguma coisa. Essa metáfora foi perfeita e transcrevo o texto abaixo.

“Na maturidade vivemos muito melhor, experimentamos as melhores coisas da vida, muito mais do que na adolescência, porque o que o jovem ainda espera conseguir, já conseguimos. Assim como no teatro ocorre um último ato, assim na maturidade, ato da vida no qual se faz a colheita, de forma alguma se pode fracassar. Nascemos da vida e para a vida, inicialmente belos, bons, puros, não perder essa condição é necessário.

Pitágoras proibia que alguém abandonasse o posto em que a vida o colocou. A maturidade, é como a ‘fase sobremesa’, é o corolário das ações vividas. O que transforma as mulheres e os homens em seres tão fortes é a velhice. As pessoas mais velhas muitas vezes são mais cordiais e mais animadas do que as pessoas jovens. A fruta madura sente-se plena, é doce, natural sobremesa”, afirma Alice.

“Tudo o que existe na grande vida é belo, depende apenas das pessoas. Logo, não importa quem seja o dirigente, o valor está na harmonia do movimento, no seu sincronismo, na sua intencionalidade. Na positividade da ação encontra-se vida, beleza, alegre caminhar. O belo e o prazer fazem exaltação do ser, portanto, a idade madura é como aquela situação de elevado equilíbrio, porta paz e satisfação a todas as percepções: a “fase sobremesa” é prevista, é uma necessidade intrínseca ao ato de existir. Quanto a mim, esta maturidade cada vez me agrada mais e mais…, quanto mais avanço nos anos, mais tenho a impressão de ‘terra à vista’, de vislumbrar o porto onde me aguardam suculentas romãs depois de longa e árdua navegação”, ilustra.

No olhar compartilhado por Alice Schuch a vida vira pluma, festa, doce e serena alegria, inefável criatura, lábios de mel, olhos de luz… Doce momento de amor vivido.

 

Isabela Teixeira da Costa

Segurança em condomínios

Cada dia investem mais em segurança nas portarias de condomínios e prédios, a novidade que está crescendo é a Portaria virtual.

Com o aumento dos índices de insegurança no Brasil, cada dia mais as pessoas investem em segurança residencial, seja em casa, prédios ou condomínios. Porteiro físico 24 horas ainda é o mais usado, porém isso não é sinônimo de 100% de segurança. Prédios e condomínios mais sofisticados ainda investem em segurança armada.

Alguns condomínios de Belo Horizonte e Nova Lima pedem tanta documentação para liberar entrada que algumas pessoas chegam a brincar dizendo que deixam até exame de sangue na portaria. Quando algum visitante ou até mesmo morador chega de táxi, o carro passa por uma revista antes de ser autorizada a entrada. Tudo vale a pena quando a segurança está em jogo.

Alguns prédios não permitem mais a subida de moto entregadores. O conforto do morador vai para as cucuias, em função da segurança, e quando é caso de doença, gera um impasse. A pessoa está impossibilitada de descer, mas precisa receber o medicamento ou qualquer compra, como alimento, por exemplo, e aí, como fica?

Em alguns condomínios, a portaria remota vem sendo adotada por moradores visando minimizar riscos de assaltos, além de reduzir custos. Em uma situação de risco, segundo o CEO da empresa especializada Codeseg, Rafael Gonçalves, a portaria virtual resguarda muito mais os moradores e até mesmo os funcionários.

Na portaria virtual, os funcionários do condomínio não ficam expostos ao perigo. “Sem identificação, não tem possibilidade de entrar”, explica Rafael. Outras tecnologias vinculadas à portaria virtual oferecem segurança aos condôminos. Na Codeseg, em suspeita de risco, além da própria empresa avisar diretamente a polícia, uma mensagem via SMS é enviada para todos os moradores para ficarem dentro de suas residências ou longe do condomínio. Todos são avisados no mesmo instante sobre o risco de invasão.

Até o mês de outubro, um aplicativo para o celular será implantado pela empresa a fim de promover ainda mais segurança e conforto às mais de 3.5 mil famílias que já experimentam a rotina com portaria virtual em seus prédios. Pelo mobile, o morador vai executar todas as ações de controle que ele desejar, monitorando quem entrou e quem saiu, o cadastro de visitas, entre outras informações básicas de funcionamento da portaria.

Rafael Gonçalves ressalta que além do aumento de segurança, o sistema de portaria remota minimiza passivos trabalhistas, evitando o desvio de função que ocorre normalmente nos condomínios.

Não acredito que seja tão mágico assim. Toda tecnologia dá problema. E quando der? O prédio fica sem segurança nenhuma, já que não conta mais com porteiros físicos? Tudo tem prós e contras. Deve ser bem avaliado, mas fica a dica.

Isabela Teixeira da Costa

Salvar

Como tratar e prevenir as estrias

Dra. Tathya Taranto / Foto Lucas Bacelar

As estrias incomodam muito, tanto mulheres, quanto os homens e são mais chatinhas de tratar, mas não desanimem, é possível.

A dermatologista Tathya Taranto, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), enviou um texto bem esclaredor sobre as incômodas estrias, que publico na íntegra abaixo.

“Embora mais comum em mulheres, as estrias também aparecem nos homens, podendo surgir na adolescência, mais comuns nas costas e nos braços, e naqueles que malham pesado, surgindo nos ombros. As estrias são cicatrizes causadas por ruptura das fibras elásticas e colágenos presentes na derme e são motivo de incômodo para muitas pessoas. Esses danos geralmente são causados por estiramentos abruptos da pele, que geram ruptura dessas fibras, deixando marcas lineares no local. Elas podem coçar e arder, mas em geral aparecem de forma silenciosa e sem nenhum sintoma aparente. Podem ser classificadas em recentes e antigas. A primeira é caracterizada pela cor rósea ou púrpura e, a segunda, pelo aspecto esbranquiçado.

Diversos fatores contribuem para o seu aparecimento, mas basicamente ela surge quando há algum esticamento de pele, resultado do aumento rápido de peso, gravidez, colocação de silicone, distúrbios hormonais ou uso de anabolizantes. Vale lembrar que fatores genéticos e uso prolongado de alguns medicamentos também estão associados ao surgimento de estrias.

Entre as perguntas mais frequentes de quem sofre do problema são: se é possível removê-las e se existem formas de evitá-las. Só é possível responder essas questões após consulta com um dermatologista. Depois de examinar o paciente poderemos definir o melhor procedimento e realizar o tratamento mais adequado para o seu caso. O tratamento pode ser feito através de cremes com ácido retinoico, ácido glicólico ou com vitamina C, microdermoabrasão, radiofrequência, microagulhamento. Existem ainda vários tipos de luzes e lasers, como luz intensa pulsada, ND YAG, lasers fracionados não ablativos e ablativos, peelings. É importante ressaltar que ainda não existe nenhuma forma de curar as estrias. O que se pode fazer é melhorar sua aparência significativamente. É de extrema importância beber muita água e hidratar a pele, pois a hidratação e elasticidade são fundamentais para evitar o surgimento das estrias”.

 

Moda praia

Cila e TT Beachewear lançam coleção verão’18 juntas, amanhã, na loja Cila Savassi, que está sendo “caracterizada” para receber os clientes.

A partir de hoje, segunda-feira, quem passar pela avenida Contorno com rua Lavras, verá a artista Clara Valente sobre um andaime pintando a fachada da loja Cila Savassi. Ela vai passar para as paredes imagens relacionadas com os Andes, tema das coleções das duas marcas de beachwear comercializadas no endereço: Cila, tradicional marca de moda praia e piscina da cidade, sempre atual e com muito sucesso e a jovem TT, marca autoral de Tete Vasconcelos. O lançamento das duas coleções será na amanhã, 19, com muitas atrações, inclusive exposição de fotos da viagem.

Clara Valente foi convidada por Tete Vasconcelos, estilistas das duas grifes, para trabalhar, em co-criação com ela, as estampas da TT Beachwear, estendendo esse trabalho à fachada da Cila.

A inspiração de Tetê Vasconcelos para a criação da das duas coleções foi a viagem recente de mais de 5 mil quilômetros que fez pelo norte da Argentina, Bolívia e Chile. As coleções, cada uma com sua identidade, exibem traços, elementos e cores da natureza, que ela conferiu nessas andanças, em locais inspiradores como Purmamarca, o Salar de Uyuni, os desertos do Siloli e de Atacama.

“Chegou o dia de subir os Andes. Rodar 5 mil quilômetros até sentir a secura do Deserto de Atacama. Nas minhas andanças pelo mundo, esta foi uma aventura diversa de tudo que já tinha vivido até então. Segui na boleia de uma pick-up com o meu pai em um comboio de amigos por trilhas de rípio, areia e sal, o ar rarefeito a alterar o ritmo da respiração.

Platôs de sal que escapam ao alcance dos olhos e explodem em várias tonalidades, dependendo da hora do dia. Flamingos de plumagem preto-rosácea passeiam calmamente pelas inúmeras lagunas salgadas, ao longo do caminho de desertos terracota.

De volta para nossas montanhas, trouxe as cores de Purmamarca, do inexplicável Salar de Uyuni, dos desertos do Siloli e de Atacama. Tudo isso fonte de inspiração para duas coleções e, agora, grafadas em biquínis, maiôs, croppeds, quimonos…e por aí vai”, conta a estilista Tetê.

Cila – Do mar aos Andes

 

O olhar da coleção Cila verão/18 para essa experiência nos Andes foi muito em cima da natureza e das paisagens vistas, sentidas e, agora, transpostas para as estampas que foram definidas como:

* Siete colores – Região norte da Argentina, destacam os muros terracota que contrastam com o azul anil do céu e se harmonizam com as cores das montanhas.

*Uyuni zig zag – Através de fotos do pôr do sol no Salar de Uyuni foi feita uma junção das várias tonalidades desse espetáculo natural e, depois, uma geometria em zig-zag  para dar um tom mais moderno. O Salar – maior planície de sal do mundo – tem um chão branco a perder de vista em que, às vezes, aparecem ilhas de pedras com cactos gigantes e em alguns períodos do ano ficam alagados… é como um espelho que reflete o céu, as nuvens e as estrelas durante a noite.

*Lagunas – As lagoas de alta altitude e de muitas cores, aos pés de vulcões com neves no topo e vegetação rasteira.

*Atacama terracota – A cor terracota predomina entre dunas, falésias, cânions, montanhas, areia, sal e as próprias construções da charmosa e rústica vila de San Pedro de Atacama. Essa estampa é mais um mosaico de paisagens.

*Listra Salar – Uma estampa elaborada a partir de uma foto do Salar, na qual a imensidão do branco contrasta com o azul do céu.

*Mapa desértico – Estampa baseada em mix composto por mapas locais cheios de ilustração, placas pela estrada, llhamas, sinalizações históricas, etc.

*Mapa P&B – Cila sempre exibe uma versão P&B em suas coleções.

*Suculentas – Mix de suculentas típicas de regiões desérticas. O destaque é a multiplicidade de tons de verdes e os tipos dessa planta.

*Quinoa – Trata-se de um desenho com um mix de quinoas típicas da região em torno do Salar de Uyuni..

 

TT Beachwear – Coleção Andes Tropical

 

TT gosta de desconstruir para depois construir. E tudo isso de uma maneira artística, poética, algumas vezes dramática, outras bem leve e minimal.

E nesse mood traduz os Andes em cores, formas geométricas, desconstrução e transposição de fotografias da viagem.

Além da natureza, o trabalho revela o artesanato, as texturas, os símbolos, o misticismo e as lendas andinas. Em uma parte da estamparia, surge um viés artístico com a cocriação de desenhos com a artista plástica Clara Valente, do coletivo Quarto Amado, reconhecida por seu trabalho inusitado e vigoroso.

Estampas

O trabalho feito em co-criação com Clara Valente, cuja característica são desenhos vetoriais artsy. O outro é uma desconstrução de várias fotos da viagem com colagem e retratando cores e símbolos andinos.

 

1 – Estampas com Clara Valente

Mystic flamingos – Os típicos flamingos, que habitam as lagoas altiplânicas, são os protagonistas. Eles aparecem em pé e voando em dupla.

Artistic Andes – Praticamente uma versão maxi do desenho mystic flamingos com a adição de um elemento básico da região: os cactos.

Cholas – Símbolo da Bolívia indígena autêntica, as cholas, com saia rodada, poncho colorido, blusas delicadamente estampadas e um chapéu-coco por cima do cabelo dividido em duas longas tranças, chamam a atenção e são, de fato, pessoas onipresentes. Aqui, elas aparecem numa versão geométrica e conceitual.

 

  1. Estampas com as fotos desconstruídas

Colours of Andes  – Uma profusão de cores e texturas captados através de recortes de fotos, que retratam o artesanato local.

Cactus flower – Composição de duas fotos da região do Salar de Uyuni sobrepostas e com suas cores no negativo. São elas: a do misterioso e cheio de história cemitério de trens e a da ilha de pedras e cactos Incahuasi.

Andean nature – De uma forma completamente desconstruída de maneira geométrica e compondo um verdadeiro labirinto, esse print é um mix de fotos do pôr do sol do Salar de Uyuni, na Bolívia.

Dalí desert – No sudoeste da Bolívia, quase chegando no Atacama, praticamente na fronteira com o Chile, o chamado Deserto de Dalí é impressionante. A composição exibe elementos místicos, símbolos andinos, e a primitiva cruz andina, chamada chakana.

 

Fotos Cila – Breno Mayer

Fotos TT – Piero Dávila

FELIT

Festival de Leitura de São João Del Rei agita a vida cultural da cidade e homenageia o escritor Ronaldo Simões Coelho em sua décima primeira edição.

A cidade mineira de São João Del Rei será palco da 11ª edição do Festival de Leitura de São João del-Rei e Tiradentes (FELIT), de 20 a 23 de setembro. Promoção da Via Comunicação e a Quarteto Filmes, o evento vai homenagear escritor e médico psiquiatra são-joanense Ronaldo Simões Coelho, que assina mais de 60 livros infantis. Por meio de parceria com o Serviço Social do Comércio (SESC), os autores Leila Ferreira, Martha Medeiros e Marina Colassanti também vão participar da programação. O curador do evento é o jornalista José Eduardo Gonçalves.

Um dos realizadores do evento é o jornalista Lúcio Teixeira Carvalho, que nasceu e cresceu na cidade. “Começamos o Festival em 2007, quando São João foi eleita Capital Brasileira da Cultura. Naquele ano, o FELIT passou a integrar a programação cultural da cidade”, destaca.

O maior destaque da programação será a presença do homenageado, e serão realizadas uma série de atividades tendo como ponto de partida a obra e a vida de Ronaldo Simões Coelho. Já no início do ano letivo, a Comissão Organizadora firmou parceria com as secretaria municipais de Educação de São João del-Rei e de Tiradentes para que os professores trabalhassem, em sala de aula com seus alunos, até a data do festival a obra do escritor.  Além disso, entre março e junho, o FELIT realizou mais uma edição da Oficina de Formação de Jovens Autores envolvendo 37 estudantes dos 8º e 9º anos do Ensino Fundamental das escolas municipais, estaduais e particulares de São João. No dia 20, em parceria com o SESC em Minas será lançado o livro  “Bichos em prosa e verso”, resultado desta oficina. Ele foi escrito e ilustrado por esses jovens autores, entre 13 e 15 anos de idade.

Outro ponto alto da programação é o VII Circuito Gastronômico Literário do FELIT, que foi aberto no dia 15. Os bares e restaurantes que participam dessa iniciativa oferecem ao público cardápios inspirados na vida e obra de Ronaldo Simões Coelho.

Neste ano, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) serão promovidas duas oficinas de reaproveitamento de alimentos e de educação alimentar para 40 alunos da rede municipal, em Tiradentes, onde o FELIT acontece desde 2012.

Oficialmente, o FELIT será realizado entre 20 e 23 de setembro no Teatro Municipal de São João del-Rei e na região histórica do Largo do Carmo, mas desde o dia 12 já estavam sendo promovidas uma série de atividades literárias por meio de parcerias firmadas com a Secretaria de Educação de Tiradentes, com bares e restaurantes da cidade sede do festival, com o UNIPTAN, com o grupo Teatro da Pedra, entre outros, estendendo-se até o dia 24, com ações literárias na Academia de Letras e na Taberna D’Omar.

Mais informações pelo site www.felit.com.br

Qual é o seu propósito de vida?

Master coach Luciane Cadan explica que propósitos podem ser transformados em motivação, impulso e foco.

Somos bombardeados por várias perguntas desde que nascemos. E muitas dessas perguntas é o que nos incentiva a ir em busca de cada objetivo que escolhemos. As perguntas nos guiam para atingir nossa meta, a alcançar resultados, já o propósito é o porquê escolhemos esse caminho. É o porquê acordamos todos os dias, é o que nos coloca em ação, é o que nos motiva ir além.

Descobrir um propósito de vida é olhar para dentro de si, porém esse olhar deve ser de autoconhecimento. Reconhecendo os pontos fortes e os pontos de melhoria, de maneira profunda, para redescobrir o que de fato faz sentido. Assim, por meio desse olhar inteligente, é possível alinhar o desejo material com o desejo da alma.

Quando encontramos o nosso propósito temos clareza que o lugar para onde estamos indo é o lugar certo. Sem sentido e comprometimento, qualquer estrada serve, mas com propósito essa jornada será diferente. A jornada é conquistar aquilo que realmente valha a pena, e este valer a pena é diferente para cada um. Qual legado quero deixar para meus entes queridos e para o mundo? Como quero ser lembrado, quando eu não estiver mais aqui?

Não é só descobrir, é procurar pelo propósito. Propósitos não caem do céu, eles geralmente são buscados para serem transformados em motivação, impulso e foco. Ter um propósito é estar menos propício a quedas, desistências e desmotivação.

Às vezes não prestamos atenção no que as pessoas ao redor nos dizem. Até mesmo uma crítica pode impulsionar a ir em busca de propósito. É aprender todos os dias, com humildade e determinação. Sabendo que somos seres imperfeitos e que cada um está em um nível na evolução.

Todos possuem algum dom, talento, sonho. Alinhe com o que traz felicidade de verdade e encontre um propósito.

Rugas verticais na testa

Marcas verticais da testa são de responsabilidade da posição na qual dormimos e podem ser resolvidas rapidamente, sem botox.

Sempre achei que as únicas marcas verticais que surgem na testa, são aquelas entre as sobrancelhas, fruto de expressão e tensão. Sabe aquele olhar mais sisudo, quando estamos preocupados, ou quando esprememos os olhos para enxergar melhor? Pois é, esse movimento, muitas vezes imperceptível, nos leva a contrair essa área do rosto e com o tempo surgem as marcas de expressão.

Agora, estão se referindo a rugas verticais na testa. Tenho que confessar que nunca reparei nisso. Não me lembro de já ter visto alguém com este tipo de ruga. Mas deve ter, sei lá. Enfim, recebi um material falando sobre o assunto e apesar do meu desconhecimento, resolvi publicar, afinal de contas, sempre estou aberta a novidades. Mas tenho que dizer que não encontrei nenhuma foto para ilustrar as rugas verticais e a a que veio junto com o material, mostra as marcas de expressão. O melhor é que o problema tem tratamento sem botox. Vale ressaltar novamente que não estamos nos referindo às marcas entre as sobrancelhas.

Segundo o dermatologista Abdo Salomão Jr., membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, a posição de dormir pode influenciar em um tipo específico de ruga: as verticais. “Quando o assunto é ruga, é normal a associação a linhas horizontais formadas em razão do fotoenvelhecimento e expressões faciais. Mas as rugas verticais que se formam na testa estão ligadas à posição de dormir de lado, sendo a causa mais comum para o surgimento desse tipo de rugas. A pele sempre ‘dobra’ no mesmo local e favorece o aparecimento dessas rugas”.

De acordo com o médico, essas rugas verticais se formam principalmente a partir dos 40 anos, mas podem aparecer também em pacientes com fototipos mais claros, aos 30. “Elas têm influência do envelhecimento celular, uma vez que quando a pele é jovem e tem elasticidade, ela contrai e volta ao normal sem criar o sulco, porque tem muitas fibras elásticas. À medida que o paciente envelhece, ocorre a diminuição dos níveis de fibras elásticas e isso acaba formando as rugas”, comenta o médico. “A única exceção é com a ruga médio frontal, aquela no meio da sobrancelha. Essas aparecem em pessoas muito expressivas, e também se formam verticalmente por contração da musculatura da região. Mas ambas têm influência do envelhecimento”, destaca.

Para resolver o problema, Abdo indica a tecnologia Megafocus, um ultrassom microfocado da plataforma Solon. “O Megafocus é menos invasivo, atinge o músculo enrijecendo e deixando mais firme a musculatura. E o procedimento costuma melhorá-las e também eleva a sobrancelha e muda a silhueta facial, promovendo lifting não cirúrgico”, explica.

“O Megafocus entrega pontos de coagulação térmica em uma série de linhas em duas profundidades: derme profunda (a 3mm de profundidade) e na camada muscular (4,5mm de profundidade). O aquecimento ocorre na derme e no sistema superficial do músculo aponeurótico. Com isso, o músculo sofre uma contração imediata ao ser atingido pelos pontos de coagulação. Isso produz um efeito lifting, que pode apresentar evolução no período de três meses após o procedimento, quando o novo colágeno continua a ser produzido”, destaca Abdo.

Como age de dentro para fora, sem causar danos à epiderme, a recuperação é imediata e o paciente pode voltar às atividades de rotina no mesmo dia. Apesar disso, o dermatologista explica que, nos locais tratados, pode ocorrer inchaço, eritema, hematoma ou apresentar formigamento e leve sensação de dor muscular. “Todos estes sintomas melhoram rapidamente”, completa. A ação do procedimento pode ser potencializada com o uso do laser Pro-Collagen, que age na derme mais superficial. “Com o uso dos dois equipamentos, há um rejuvenescimento completo com a eliminação dessas rugas”, afirma o médico.

As contraindicações são para gestantes, pacientes em tratamento com anticoagulantes, doença autoimune, diabetes, epilepsia, queloides e preenchedores.

Isabela Teixeira da Costa

Salvar

Bons conselhos são preciosidade

Um bom conselho, na hora certa, é mais preciso que um grande tesouro, e pode te tirar de um grande problema no futuro.

Tem um ditado popular muito conhecido que diz “se conselho fosse bom, a gente não dava, vendia”. Com isso, muitas pessoas tomam como verdade que não devem ouvir e receber conselhos de ninguém e acabam quebrando a cabeça vida a fora.

Quantas vezes não ouvimos e muitas vezes já até falamos “quem dera tivesse a cabeça que tenho hoje, com 20 anos a menos?” O que queremos dizer com isso? Que a experiência que ganhamos na trajetória da vida nos amadureceu e que gostaríamos de reviver a juventude com uma cabeça mais madura. Por que? Porque evitaríamos cometer vários erros que acabamos vivendo em função da nossa ingenuidade, imaturidade, juventude.

Se ouvíssemos os conselhos que muitas vezes não queremos receber, provavelmente não teríamos errado em algumas ocasiões da vida. Não dá para saber se erraríamos mais ou menos, afinal, a vida é feita de escolhas, mas uma cabeça mais sábia, de uma pessoa que nos ama de verdade, só vai acrescentar. E somos seres racionais porque temos a capacidade de pensar e discernir, então, porque não ouvir o conselho e pensar sobre o que nos disseram? É só colocar na balança e ver se vale a pena.

Já disse aqui, algumas vezes, que a Bíblia é meu livro de cabeceira. Antes que os mais céticos, ateus ou agnósticos torçam o nariz, quero contar que vários cientistas, mundo afora – muitos deles ateus ou agnósticos –, já estudaram a Bíblia, por vários motivos, e todos eles, sem exceção, sempre reconheceram que este livro é o melhor manual de vida que já foi escrito e um excelente livro de história. Alguns acabaram por se render e passaram a acreditar em Deus. Mas isso é outro caso. Uma amiga disse certa vez que a Bíblia é seu Manual de vida porque fala desde decoração até orientação financeira. E é a mais pura verdade.

Bem, voltando aos conselhos, li esta semana no livro de Provérbios capítulo 15, versículos 22 e 23 “Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros. Dar resposta apropriada é motivo de alegria; e como é bom um conselho na hora certa!”.

Isso diz tudo. É claro que não vamos sair por aí pedindo conselho a qualquer um, indistintamente. Devemos pensar um pouco. Se você é casado (a), seu marido ou sua mulher é a pessoa mais próxima e devem ser ouvidos, pessoas mais velhas e próximas de você, mas que tal observar primeiro como é a vida dessa pessoa, sua conduta, sua ética, etc. Ela é exemplo? E o amigo, aquele, mais chegado que irmão. Por falar em irmão, os irmãos também são ótimos conselheiros.

É impressionante como só guardamos as coisas negativas. O ditado popular que diz que conselho não vale a pena, todos sabemos de cor e salteado. Ele revela nosso egocentrismo e autossuficiência, nossa natureza humana independente. Geralmente não gostamos de conselhos, porque na maioria das vezes dizem coisas que não queremos ouvir. Mas, resolvi pesquisar ditados e provérbios populares sobre conselhos e achei um tanto que nunca tinha ouvido, todos eles mostrando a importância de receber conselhos.

“Bons amigos, bons conselhos”; “Bom conselho desprezado, há-de ser muito lembrado”; “Os conselhos fáceis de tomar são os mais úteis”; “Conselho de amigo, aviso do céu”; “Os bons conselhos são, sempre, amargos”; “Mais vale bom conselho que fortuna”; “Antes conselho mudar, do que no erro ficar”.

Isabela Teixeira da Costa

Papai, você pode me vender uma hora do seu tempo?

Um belo texto sobre o papel de pai, a necessidade de dividir seu tempo e se dedicar com qualidade aos filhos, escrito pelo professor da UFPR e pai de três filhos, Jacir J. Venturi.

 

Jacir J. Venturi

 

Todo dia o mesmo ritual: o pai extenuado chega à noite em casa após mais um duro dia de trabalho. Seu filho, com os olhos cheios de admiração, abraça-o. Eles trocam algumas palavras sobre a escola e se despedem com beijos na face, o boa-noite e o “durma com os anjos”. Certo dia, com a voz tímida, o garoto pergunta ao pai, que acaba de chegar: “Papai, quanto você ganha por hora?”. O pai surpreso, desconversa. O filho insiste: “Papai, quanto você ganha por hora?”.

O sempre ocupado pai promete uma resposta para o dia seguinte, mas se aflige com a pergunta. Passado algum tempo, dirige-se ao quarto do filho e o encontra deitado. “Filho, você está dormindo?”, pergunta. “Não, papai!”, responde o garoto. “Querido, eu ganho 28 reais por hora.” O filho levanta-se da cama, abre a gaveta e, entre notas e moedas, conta 28 reais. Abraça o pai com ternura e, com os olhos cheio de lágrimas, pergunta: “Você pode me vender uma hora do seu tempo?”.

Esta singela história é conhecida; o leitor certamente já a recebeu por e-mail ou a leu nas mídias sociais. Ela enseja a meditação sobre a disponibilidade de tempo para os filhos, os quais, mais cedo do que se pensa, compreenderão a árdua luta dos pais pela sua sobrevivência profissional, o necessário cumprimento dos deveres no importante papel de provedores e que a dedicação ao trabalho é fator de realização pessoal e é modelo de responsabilidade.

Busca-se, evidentemente, a prevalência do bom senso, da medida, do equilíbrio entre a vida profissional e a vida familiar. Nesse contexto, importa mais a qualidade do afeto que a quantidade de tempo disponível aos filhos. O abraço afetuoso, o beijo estalado, a imposição de limites, o diálogo objetivo e adequado à idade, o acompanhamento do rendimento escolar, a presença nos momentos de lazer ou doença e a transmissão (pela palavra e pelo exemplo) de valores éticos e de cidadania que podem ser praticados diariamente – com ênfase nos finais de semana – por pais que trabalham cerca de oito, nove ou dez horas por dia.

O consultor Gutemberg de Macedo dá seu depoimento em um de seus livros: “Conheço executivos bem-sucedidos que mantêm uma vida balanceada. São bons profissionalmente e, até prova em contrário, bons maridos, bons pais, bons líderes e bons cidadãos. O segredo? Saber dividir, compartimentar esses diferentes papéis. É preciso parar para refletir com profundidade. A vida é uma bênção de Deus. Desequilibrá-la é destruí-la. E destruí-la é uma espécie de estupro da própria divindade. Se Ele descansou, quem afinal você pensa que é para querer ir além?”

“Devo dar segurança do meu amor” deve ser um mantra diário de todo pai. Significa, sim, menos lazer, menos convivência com os amigos, menos academia. Mesmo cansados, podemos ir além para cumprir o papel de pai (ou mãe). A paternidade responsável é uma missão e um dever a que não se pode furtar. No entanto, veem-se nas escolas filhos órfãos de pais vivos. E, na maioria das vezes, falta de tempo é apenas uma desculpa para a sua omissão. A vida profissional, apesar de suas elevadas exigências, pode muito bem ser ajustada a uma vida particular equilibrada. É uma questão de ênfase e dosagem de tempo.

 

Alergias: Por que os casos aumentam tanto e como identifica-las?

A pesquisadora e especialista em alergias, Julinha Lazaretti, enviou texto sobre alergias, bem pontual para esta época do ano.

 

Julinha Lazaretti*

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 35% da população tem algum tipo de alergia, sendo 20% alergias respiratórias. Acredita-se que o principal vilão para este constante crescimento seja o atual estilo de vida. No caso das alergias respiratórias, passar longos períodos em ambientes fechados, com pouca iluminação natural e pouca ventilação propicia o aumento dos ácaros, os principais causadores de asma e rinite.

Já as alergias de pele são em decorrência do maior acesso ao uso de produtos cosméticos. O Brasil é o segundo maior mercado de cosméticos do mundo, sendo este um dos mercados que mais cresce. A maioria dos produtos utiliza em suas fórmulas substâncias que podem causar alergia, o que acaba sensibilizando um número maior de pessoas. Com as alergias alimentares, esse aumento decorre de vários fatores como maior ingestão de produtos industrializados, não respeitar o amadurecimento do aparelho digestivo da criança, oferecendo cada vez mais cedo alimentos que podem causar alergia. Outro fator importante e que está sendo estudado é o uso corriqueiro de remédios para azia e má digestão, que podem estar alterando o trato digestivo e tornando-o mais sensível.

Desde quando criamos a Alergoshop, em 1993, temos como principal preocupação oferecer produtos para ajudar na prevenção das alergias. Fazemos isso oferecendo produtos que evitem o contato com substâncias alergênicas. As capas de colchão e travesseiro anti-ácaros, por exemplo, evitam o contato com as partículas desencadeadoras de asma, rinite e dermatites. Desenvolvemos também linhas de maquiagem livres de 105 substâncias conhecidamente alergênicas e muito comuns em outros cosméticos. A linha de produtos de limpeza doméstica é desenvolvida com ativos naturais e livres de petrolatos.

Além de produtos, também nos preocupamos em oferecer informações, pois acreditamos que essa é mais uma forma de ajudar na prevenção das alergias. Por isso, desenvolvemos um canal no Youtube com diversos vídeos em que profissionais dão dicas sobre alergias, como identificar os principais sintomas, os tipos da doença e recomendações. Lembrando sempre que, para todos os casos, é fundamental consultar um médico.

Dentre os casos mais comuns, a alergia respiratória é a que mais atinge a população. Ela se caracteriza por espirros, tosse, nariz coçando e escorrendo, falta de ar e peito chiando. Já as alergias de pele são caracterizadas por vermelhidão, coceira e inchaço. Por fim, as alimentares apresentam diarreia, vômitos e também podem causar sintomas respiratórios e de pele, por isso nem sempre são facilmente identificadas.

O surgimento das alergias é decorrente de vários fatores como genética, ambiental e emocional. Uma pessoa com histórico familiar de alergia pode não desenvolvê-la desde que não entre em contato com substâncias desencadeantes. Então, quanto menos contato com substâncias que já são conhecidamente alergênicas, menor as chances de desenvolver algo. Vale ressaltar, porém, que as alergias nunca aparecem num primeiro contato com determinada substância. Para que a alergia surja, a pessoa precisa ter um certo número de contatos com a substância. Durante esse período a pessoa vai criando anticorpos até que, em determinado momento, a quantidade de anticorpos ativados desencadeia a reação. É como ir enchendo um copo de água que, se passarmos da quantidade ideal, acaba transbordando.

Por isso, prevenir-se e usar sempre produtos e substâncias responsáveis é sempre uma opção mais segura e consciente para o seu bem-estar.