Qual é o seu propósito de vida?

Master coach Luciane Cadan explica que propósitos podem ser transformados em motivação, impulso e foco.

Somos bombardeados por várias perguntas desde que nascemos. E muitas dessas perguntas é o que nos incentiva a ir em busca de cada objetivo que escolhemos. As perguntas nos guiam para atingir nossa meta, a alcançar resultados, já o propósito é o porquê escolhemos esse caminho. É o porquê acordamos todos os dias, é o que nos coloca em ação, é o que nos motiva ir além.

Descobrir um propósito de vida é olhar para dentro de si, porém esse olhar deve ser de autoconhecimento. Reconhecendo os pontos fortes e os pontos de melhoria, de maneira profunda, para redescobrir o que de fato faz sentido. Assim, por meio desse olhar inteligente, é possível alinhar o desejo material com o desejo da alma.

Quando encontramos o nosso propósito temos clareza que o lugar para onde estamos indo é o lugar certo. Sem sentido e comprometimento, qualquer estrada serve, mas com propósito essa jornada será diferente. A jornada é conquistar aquilo que realmente valha a pena, e este valer a pena é diferente para cada um. Qual legado quero deixar para meus entes queridos e para o mundo? Como quero ser lembrado, quando eu não estiver mais aqui?

Não é só descobrir, é procurar pelo propósito. Propósitos não caem do céu, eles geralmente são buscados para serem transformados em motivação, impulso e foco. Ter um propósito é estar menos propício a quedas, desistências e desmotivação.

Às vezes não prestamos atenção no que as pessoas ao redor nos dizem. Até mesmo uma crítica pode impulsionar a ir em busca de propósito. É aprender todos os dias, com humildade e determinação. Sabendo que somos seres imperfeitos e que cada um está em um nível na evolução.

Todos possuem algum dom, talento, sonho. Alinhe com o que traz felicidade de verdade e encontre um propósito.

Rugas verticais na testa

Marcas verticais da testa são de responsabilidade da posição na qual dormimos e podem ser resolvidas rapidamente, sem botox.

Sempre achei que as únicas marcas verticais que surgem na testa, são aquelas entre as sobrancelhas, fruto de expressão e tensão. Sabe aquele olhar mais sisudo, quando estamos preocupados, ou quando esprememos os olhos para enxergar melhor? Pois é, esse movimento, muitas vezes imperceptível, nos leva a contrair essa área do rosto e com o tempo surgem as marcas de expressão.

Agora, estão se referindo a rugas verticais na testa. Tenho que confessar que nunca reparei nisso. Não me lembro de já ter visto alguém com este tipo de ruga. Mas deve ter, sei lá. Enfim, recebi um material falando sobre o assunto e apesar do meu desconhecimento, resolvi publicar, afinal de contas, sempre estou aberta a novidades. Mas tenho que dizer que não encontrei nenhuma foto para ilustrar as rugas verticais e a a que veio junto com o material, mostra as marcas de expressão. O melhor é que o problema tem tratamento sem botox. Vale ressaltar novamente que não estamos nos referindo às marcas entre as sobrancelhas.

Segundo o dermatologista Abdo Salomão Jr., membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, a posição de dormir pode influenciar em um tipo específico de ruga: as verticais. “Quando o assunto é ruga, é normal a associação a linhas horizontais formadas em razão do fotoenvelhecimento e expressões faciais. Mas as rugas verticais que se formam na testa estão ligadas à posição de dormir de lado, sendo a causa mais comum para o surgimento desse tipo de rugas. A pele sempre ‘dobra’ no mesmo local e favorece o aparecimento dessas rugas”.

De acordo com o médico, essas rugas verticais se formam principalmente a partir dos 40 anos, mas podem aparecer também em pacientes com fototipos mais claros, aos 30. “Elas têm influência do envelhecimento celular, uma vez que quando a pele é jovem e tem elasticidade, ela contrai e volta ao normal sem criar o sulco, porque tem muitas fibras elásticas. À medida que o paciente envelhece, ocorre a diminuição dos níveis de fibras elásticas e isso acaba formando as rugas”, comenta o médico. “A única exceção é com a ruga médio frontal, aquela no meio da sobrancelha. Essas aparecem em pessoas muito expressivas, e também se formam verticalmente por contração da musculatura da região. Mas ambas têm influência do envelhecimento”, destaca.

Para resolver o problema, Abdo indica a tecnologia Megafocus, um ultrassom microfocado da plataforma Solon. “O Megafocus é menos invasivo, atinge o músculo enrijecendo e deixando mais firme a musculatura. E o procedimento costuma melhorá-las e também eleva a sobrancelha e muda a silhueta facial, promovendo lifting não cirúrgico”, explica.

“O Megafocus entrega pontos de coagulação térmica em uma série de linhas em duas profundidades: derme profunda (a 3mm de profundidade) e na camada muscular (4,5mm de profundidade). O aquecimento ocorre na derme e no sistema superficial do músculo aponeurótico. Com isso, o músculo sofre uma contração imediata ao ser atingido pelos pontos de coagulação. Isso produz um efeito lifting, que pode apresentar evolução no período de três meses após o procedimento, quando o novo colágeno continua a ser produzido”, destaca Abdo.

Como age de dentro para fora, sem causar danos à epiderme, a recuperação é imediata e o paciente pode voltar às atividades de rotina no mesmo dia. Apesar disso, o dermatologista explica que, nos locais tratados, pode ocorrer inchaço, eritema, hematoma ou apresentar formigamento e leve sensação de dor muscular. “Todos estes sintomas melhoram rapidamente”, completa. A ação do procedimento pode ser potencializada com o uso do laser Pro-Collagen, que age na derme mais superficial. “Com o uso dos dois equipamentos, há um rejuvenescimento completo com a eliminação dessas rugas”, afirma o médico.

As contraindicações são para gestantes, pacientes em tratamento com anticoagulantes, doença autoimune, diabetes, epilepsia, queloides e preenchedores.

Isabela Teixeira da Costa

Salvar

Lembranças

Guanabara
Guanabara

Tempo passa, as coisas mudam, mas as lembranças continuam.

Vivemos de memórias. Não podemos viver do passado, mas o que seria de nós se não tivéssemos lembranças? Fico imaginando como seria uma pessoa sem lembranças, sem memória. Deve ser terrível. Em várias reportagens de catástrofes, quando as pessoas perdem suas casas em terremotos, tsunamis, incêndios, etc, os objetos que mais sentem trem perdido são as fotografias. Por que? Porque elas são lembranças do que as pessoas viveram.

Família: Regina, Ângela, Renato, eu, Camilinho e Beth
Família: Regina, Ângela, Renato, eu, Camilinho e Beth

O que vivemos forma o que somos hoje, as lembranças são a nossa história. Algumas são doces, outras mais amargas e umas podem ser até indiferentes, mas são nossas, nos pertencem. É impressionante ver como cada momento vivido fica guardado de maneira diferente em cada pessoa.

Ontem, minha irmã e eu fomos ao centro da cidade procurar uma loja. Acabamos andando um trecho da Avenida Afonso Pena a pé. Moramos muitos anos no centro, até os meus 14 anos de idade. Andava a pé tranquilamente, naquela época isso era possível. Ontem, enquanto andávamos vimos como a Igreja São José ficou linda depois da restauração. Está no estilo marroquino ou russo, sei lá, só sei que ficou linda.

Íamos andando e lembrando das lojas Guanabara, Inglesa Levy, Bemoreira Ducal, Sloper. Eram lojas ótimas que íamos sozinhas na maior tranquilidade. A Kopenhagen que ficava na esquina de Tamoios e Afonso Pena. Saudade. Enquanto conversávamos sentia o cheiro de urina, que nem a chuva que tinha caído foi suficiente para limpar. Olhava em volta e via o cenário que nem de longe lembra o antigo. Nesta época a Avenida já estria toda enfeitada com motivos natalinos, hoje, nem sombra de luzinha, nem mesmo nas lojas.

Sloper
Sloper

Morava na Rua Tupis em frente do Shopping Cidade, na época era o Cine Jacques. E ali no centro tinha também o Cine Guarani, onde hoje é o Museu Inimá de Paula, o Cine Tamoio e o Metrópole, onde hoje é o Bradesco. Nas férias eu nadava de braçada. Como não era perigoso ir sozinha no cinema, entrava na seção das 14h e saía às 18h. Tinha uns 11 anos. O único problema eram os tarados, então tínhamos que assentar na cadeira da beirada, no corredor do meio. Se algum homem assentasse do lado, era só mudar de lugar. A gente sempre usava um broche, qualquer coisa fincava a mão do tarado. Quando íamos em turma, lanchávamos depois no Saci.

Lembro quando passou E o vento levou. Foi no Cine Pathé, na Savassi. Eu tinha 13 anos e as primas todas resolveram ir. Ângela Rocha, minha prima não quis me deixar para trás, mas eu não tinha idade. Ela soltou meu cabelo, me maquiou e lá fomos nós. Entrei, 4h de filme. Dormi mais da metade, mas estava me achando porque entrei em um filme de censura 16 anos.

Tia Neury morava no Edifício Niemeyer. Não esqueço uma vez que estávamos todos lá, já era bem tarde. Eu estava brincando com as Barbies da Beth – eram lindas, tinha trazido da Europa, aqui não existia –, aí me chamaram na sala e quando cheguei tinha uma vela sobre uma latinha de extrato de tomate e toda a família cantava parabéns para mim (no dia seguinte era meu aniversário). Foi a primeira surpresa que fizeram para mim. Fiquei tão emocionada. Eu era uma pré-adolescente. Chorei muito. Até hoje lembro a emoção que senti: a pessoa mais amada e importante do mundo.

Lembranças, memórias. Como é bom.

Isabela Teixeira da Costa

Qual a sua senha?

capecoenseA senha da vida ninguém sabe, só Deus.

Acordamos na terça-feira surpreendidos pela notícia da tragédia com o avião que levava o time de futebol Chapecoense, de Santa Catarina, para a Colômbia, onde disputaria o primeiro jogo pela final da copa Sul-Américana.

Ninguém sabe ainda, ao certo, o que provocou a queda do avião, o que se sabe é que 71 pessoas morreram, seis sobreviveram e quatro pessoas que deveriam estar no voo simplesmente não embarcaram.

Claro que todos querem saber se faltou combustível ou se o avião teve uma pane elétrica e o piloto teve que jogar combustível fora, porém isso só é importante para responder perguntas, para matar curiosidade, para saber causas. Ou seja, para tirar uma interrogação enorme e, provavelmente impedir outro acidente do mesmo tipo, porque não trará ninguém de volta.

O que importa é que esse dia era o dia da chamada da senha dessas 71 pessoas que morreram. Não era o dia da senha dos seis sobreviventes. Rafael Henzel, jornalista que está sedado na UTI em condições estáveis; o zagueiro Neto também está estável e sedado na UTI; o estado do goleiro Jackson Follmann é crítico, está em observação e já teve uma pequena evolução. O lateral Alan Ruschel teve fratura na coluna, passou por cirurgia, e graças a Deus não terá danos neurológicos e nem motor. Os outros dois sobreviventes são os tripulantes Xiemena Suárez e Erwin Tumiri, ambos estão estáveis e em recuperação.

Provavelmente, tinham que passar por isso, mas não era a hora da senha de nenhum deles. Os quatro que não embarcaram por motivos diversos foram Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC), Plínio David de Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense, Gelson Merisio (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e Ivan Carlos Agnoletto, jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó. O vice-presidente da Chapecoense, Ivan Tozzo, também iria, mas desistiu porque teve um mal pressentimento. Esses motivos diversos surgem simplesmente para impedir que eles passassem por algo que não deveriam passar. Não era a vez da senha deles.

Foto: Luis Benavides/AP
Foto: Luis Benavides/AP

Não acredito em coincidências. Se um teve mal pressentimento, não foi por acaso. Da mesma forma que a mensagem deixada no facebook horas antes da tragédia pelo piloto paraguaio Gustavo Encina – que pilotava o avião, e era evangélico –, não parece coincidência: “Bom dia! Como você olha para sua vida? Para frente ou para trás? Que o Senhor te dê graça para largar as coisas, até mesmo aquelas que consideras preciosas nesta vida, e te permita olhar mais para adiante, onde Cristo te espera para um encontro glorioso que te abrirá as portas da eternidade”.

É por isso que já escrevi aqui, várias vezes, que devemos viver a vida bem vivida, aproveitando cada minuto com quem amamos, com as pessoas que gostamos, com amigos queridos, sem deixar nada por dizer. Isso não significa ser irresponsável nem fazer doideira, mas não desperdiçar o tempo. O tempo não volta, e cabe a nós preenche-lo da melhor maneira possível.

Ontem, os colombianos fizeram uma homenagem emocionante ao Chapecoense e a todos os brasileiros. Lotaram o estádio onde seria o jogo, vestidos de branco, com flores e velas nas mãos. Eram tantas pessoas que não coube no estádio, então, circundaram o local, coloccando flores e velas em todo o redor. A ceromônia foi linda, com discursos e a leitura do nome de todas as vítimas. Realmente  o ser humano se une na solidariedade.

Em Chapecó, os torcedores do time também lotaram o estádio, vestidos de verde e prestaram homenagem ao clube, às vítimas e seus familiares. Foi feita uma cerimônia religiosa e puderam dividir a sua dor, enquanto aguardam a chegada dos corpos para poderem velar seus parentes e seus ídolos.

Torço para que cada um dos 71, tenha tido a oportunidade de dizer que amava seus queridos, que tenha feito tudo o que queria. Uma coisa é certa, os jogadores estavam em um momento de muita alegria, pois estavam indo participar de uma ocasião inédita em suas carreiras. Que Deus console as famílias.

Isabela Teixeira da Costa

50 lições que a vida me ensinou

Os enganos da internet.

Está circulando na internet, há alguns anos, um texto muito bonito, dizendo que foi escrito por uma senhora de 90 anos. Até que acertaram no nome da autora, realmente é de Regina Brett, uma americana, vencedora do Prêmio Pulitzer, porém ela tem apenas 60 anos de idade. Escreveu 45 lições que a vida me ensinou quando fez 45 anos de idade, e completou mais cinco lições quando chegou aos 50. É autora de best sellers, jornalista e formada em estudos religiosos.

Apesar de não ter a idade divulgada, o texto continua sendo bonito, tendo o seu valor e bons ensinamentos. Por isso, decidi publicá-lo na íntegra, com a foto de Brett.

Regina Brett / Divulgação
Regina Brett / Divulgação

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3. A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Não se leve tão à sério. Ninguém mais leva…
5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.
6. Você não tem que vencer todo argumento. Concorde para discordar.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele aguenta.
9. Poupe para aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.
11. Sele a paz com seu passado para que ele não estrague seu presente.
12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem ideia do que se trata a jornada deles.
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16. A vida é muito curta para longas piedosas festas. Esteja ocupado vivendo ou esteja ocupado morrendo.
17. Você pode fazer tudo se começar hoje.
18. Um escritor escreve. Se você quer ser um escritor, escreva.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de você e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite não como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante, depois deixe-se levar pela maré.
23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade além de você.
26. Encare cada “chamado desastre” com essas palavras: Em cinco anos, vai importar?
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo a todos.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Indepedentemente se a situação é boa ou ruim, irá mudar.
32. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato
33. Acredite em milagres
34. Deus te ama por causa de quem Deus é, não pelo o que você fez ou deixou de fazer.
35.O que não te mata, realmente te torna mais forte.
36. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem
37. Seus filhos só têm uma infância. Faça com que seja memorável.
38. Leia os Salmos. Eles tratam de todas as emoções humanas
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares
40. Se todos jogássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, pegaríamos os nossos de volta.
41. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela agora.
42.Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.
43.Tudo o que realmente importa no final é que você amou.
44. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
45. O melhor está por vir.
46. Não importa como você se sinta, levante, vista-se e apareça.
47. Respire fundo. Isso acalma a mente.
48. Se você não pedir, você não ganha.
49. Produza.
50. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente!!!

Vida efêmera

sozinha2Não sabemos como será a próxima hora, saiba viver bem.

Pode parecer piegas, mas não é. Nenhum de nós sabe o que vai ocorrer daqui a uma hora conosco, por isso, não deixe nada a ser dito, nem nada a ser resolvido. Quantas vezes ouvimos e lemos mensagens e textos dizendo para vivermos bem cada minuto de nossas vidas? Para dizermos às pessoas o quanto as amamos e para aquelas que tivemos diferenças, que as perdoamos? Ficamos emocionados na hora, algumas pessoas até choram – claro que depende de como o texto foi escrito, o momento pelo qual a pessoa está passando, etc – mas, em seguida, a vida volta à rotina.

Hoje, eu volto ao assunto. A vida é efêmera, não desperdice um minuto sequer, pois você não sabe como será o seguinte. E não falo isso do nada, mas baseada em algo que eu e um grande grupo de amigos estamos vivendo.

Na terça-feira ela manhã, uma amiga me ligou. Ficamos um bom tempo no telefone. Queria me contar uma situação pela qual estava passando e pedir minha opinião. Foi uma conversa longa. Desligamos o telefone com ela animada, agradecendo muito a conversa. Estava ótima.

Na quarta-feira, ainda pela manhã, recebo uma mensagem, dizendo que esta minha amiga tinha tido um AVC e estava em coma, na UTI de um hospital. Não acreditei. Corri para conseguir mais informações, pois a mensagem era mais uma pergunta se era verdade do que uma notícia mesmo. Infelizmente, foi confirmada.

Na noite da mesma terça que nós conversamos, ela estava dirigindo o seu carro, conversando por telefone – no viva voz – com um amigo, quando começou a passar mal. Disse a ele: “estou tonta, estou passando mal, muito mal”. O amigo mandou ela encostar o carro, perguntou onde ela estava. Ela disse o local e não respondeu mais nada. Quando ele chegou ao local, ela já estava em coma, a polícia estava lá e o Samu já havia sido chamado.

Esta é a nossa vida. Uma mulher de apenas 51 anos, cheia de vida para viver, do nada, tem um aneurisma e entra em coma. Isso pode ocorrer com qualquer um de nós, a qualquer momento. Há cerca de dez dias, ficamos chocados com a morte de Domingos Montagner. Foi nadar para relaxar despois de uma gravação, com uma colega de elenco. Ele atleta, trapezista, professor de educação física foi sugado pelas águas. Camila Pitanga que é magra e nem tão forte quanto ele, conseguiu se salvar.

Todos nós, quando nascemos recebemos uma senha, ninguém sabe quando a sua senha será chamada. Por isso, não desperdice seu tempo com brigas, ociosidades, egoísmos. Relacione-se mais, ame mais, aproveite o tempo. Viva a vida que Deus te deu. Seja feliz. Não deixe nada a ser dito, abrace mais, sorria mais. Ponha o mau humor, o egoísmo, o gênio ruim, em arquivo morto. Não nascemos para sermos só. Vamos conviver, vamos viver.

Viva os principais mandamentos de Deus: Ame a Deus sobre todas as coisas e ame ao próximo como a ti mesmo.

Isabela Teixeira da Costa