Consegui limpar o box do meu banheiro

Depois de inúmeras tentativas e várias dicas, finalmente consegui limpar o vidro blindex do box do meu banheiro.

Parece milagre, mas depois de um ano e meio fazendo testes finalmente consegui limpar o box de vidro blindex do meu banheiro. Nem acreditei. Quase desmaiei de emoção. Suei muito, cansei um pouco os braços, mas o esforço valeu a pena. Consegui este feito miraculoso graças a duas das inúmeras dicas que recebi dos leitores. Uni as duas e coloquei em prática.

Só para relembrar, em julho de 2016 escrevi pedindo socorro, pois tinha tentado todas as dicas encontradas na internet e nada. Até a que manda fazer a mistura de um litro de água, duas colheres de sopa de bicarbonato de sódio, uma colher de sopa de sabão em pó, uma colher de sopa de álcool, uma colher de sopa de vinagre. Realmente acreditei que daria certo porque bicarbonato limpa tudo, mas não adiantou nada.

Entendi que essa mistura é muito boa para box que não está com as manchas muito antigas. E mais uma vez aconselho as pessoas que têm blindex novo e limpo, que passem o impermeabilizante Nanomax, que impede que a gordura do corpo agarre no vidro. Atenção, ele não limpa, mas evita que a sujeira grude.

De lá prá cá recebi muitas sugestões:  limpa box da Uau, não funcionou. Sabonete lux branco, passado com o lado áspero da esponja comum de cozinha, com força moderada, não funcionou. Umedecer uma esponja com água fria e aplicar pasta de dente de qualquer marca (na esponja), esfregar sobre as manchas no vidro seco e enxaguar com água morna; infelizmente não funcionou. Thiner ou querosene, não deu certo.

Indicaram limpar com shampoo anti-resíduos, porém tenho que confessar que esta sugestão eu não testei. Não sabia qual era o produto, pedi o nome mas a leitora não respondeu.

Teve gente que “chutou o balde” e sugeriu largar prá lá, colocar apliques no vidro e outros deram a ideia de jatear o box. Porém, se colocamos vidro transparente foi por uma preferência, se jatearmos, o box ficará fosco e muda a concepção estética do banheiro.

Aí, relativamente há pouco tempo, o leitor Felipe me deu uma grande ideia: raspar com gilete. Pouco tempo depois, a gaúcha Maria relatou sua experiência dizendo que havia mudado de endereço e o box parecia que era pintado de branco, tal era a sujeira de resíduos de sabonete. Ela usou um produto chamado limpeza pesada, que parece um óleo com cheiro de querosene, da marca Búfalo, que em Porto Alegre custa cerca de R$ 17. Esfregou puro com esponja do lado áspero e saiu bem fácil. Depois lavou novamente com aquele produto a base de saponáceo para fogão da Veja. Ficou zérinho. Atualmente só mantém com uma mistura que deixo ao lado do vaso: água sanitária, desinfetante coala 25 gotas, um desengordurante qualquer num aplicador, e água. Ela garantiu que fica sempre brilhando.

Fui à luta. Não encontrei o produto indicado, mas comprei o Limpa Tudo da Arcbril, peguei uma espátula, uma esponja nova, Bombril e luvas. Usei o produto sem diluir, na bucha seca. Passei no vidro, esfregando com uma pressão razoável. Deixei agir e depois raspei com a espátula. Tornei a esfregar com o produto e fui enxaguando. Saiu bastante. Depois de uns dias, repeti o processo, e ficou zerado. Box brilhando. Só não fiz ainda a mistura indicada que a leitora deixa no banheiro e aplica com frequência. Ah, diariamente, após o banho passo um pano para secar o vidro e evitar que ele seque naturalmente, evitando assim as marcas de gotinhas.

Podem testar, vão se surpreender com o resultado. Agora estou feliz com meu box limpinho!

Isabela Teixeira da Costa

Socorro, como limpar box de banheiro?

bored housekeeper with cleaning accessoriesCoisa difícil é limpar box de vidro blindex.

Continuo na minha batalha insana pela limpeza total de minha casa. Não digo a limpeza comum, aquela básica, varrer, aspirar, tirar o pó, lavar louça, banheiros, lavar e passar roupas.

Me refiro a limpeza mais detalhada, aquela que nossas ajudantes – que em alguns momentos fazem muita falta, apesar dos defeitos (todos nós temos) –, empurram com a barriga e quando percebemos o acúmulo de sujeira é tamanho que dá um trabalhão para tirar.

O primeiro desafio consegui vencer e meus leitores me ajudaram bastante: exterminar as mosquinhas de banheiro. Apesar de alguns comentários contrários no último artigo, quando ensinei como acabar com as incômodas companhias – uns três leitores acham absurdo matá-las, acreditam que a convivência pacífica é o melhor caminho –, continuo me sentindo aliviada sem os insetos e com a sensação de limpeza.

Porém, sem tê-las por perto meu olhar se ateve ao vidro do box. Pronto. Estava embaçado, cheio de manchas esbranquiçadas. Era o acúmulo da gordura do corpo que vai grudando no vidro e com o tempo mancha. Lá fui eu limpar.

O engraçado é que no mesmo dia encontrei com um amigo, o pastor Luiz de Jesus, que tinha lido a crônica das mosquinhas. Elogiou e me pediu: “Descobre também como limpa box de banheiro. Já fiz de tudo e nada adiantou”. Ri muito e comentei com ele que tinha reparado o problema naquele dia.

box2Cheguei em casa, peguei a bucha com sabão. Nada. Veja multiuso, nada. Desengordurante, não adiantou. Pesquisei na internet: “Como tirar mancha de gordura do corpo, de vidro de box” e apareceram várias receitas.

A primeira: limpar com detergente desengordurante e passar um impermeabilizante chamado Nanomax. Sugiro que quem está com seu box novo passe o impermeabilizante urgente, porque estou percebendo que a limpeza será outra luta inglória. Limpei com detergente e não adiantou nada.

A segunda, foi de uma moça chamada Ana Maria: Limpar o box com uma palha de aço. Ela garante que não arranha. Depois fazer uma fórmula caseira com um litro de água, duas colheres de sopa de bicarbonato de sódio, uma colher de sopa de sabão em pó, uma colher de sopa de álcool, uma colher de sopa de vinagre. Com uma esponja, passar no vidro, enxaguar bem e secar com um pano. Fiz direitinho e não adiantou nada.

Voltei a pesquisar e descobri uma terceira fórmula, muito parecida com a segunda, mas mais concentrada, de Ana Crisf. Fiquei animada: uma colher de sopa de sabão em pó, duas colheres de sopa de bicarbonato de sódio, uma colher de sopa de álcool, uma xícara de vinagre e uma xícara de água morna. Misturem dentro do box, porque vinagre com bicarbonato ferventa e derrama um pouco. Quando colocamos a bucha dentro, ele acalma. Passar no vidro com uma bucha macia. Deixar agir por cinco minutos, enxaguar e secar com um pano que não solte pelos.

Entrei em ação. Fiz seguindo todas as recomendações. Em um primeiro momento me pareceu que daria certo, mas depois que enxuguei, as manchas reapareceram. Melhorou um pouco, mas pouco mesmo. Me deu a ideia de passar apenas o bicarbonato. Peguei a bucha, fui colocando bicarbonato na bucha úmida e esfregando, com a parte dura mesmo. Enxaguei. O resultado foi em vão.

Aí radicalizei, liguei para o fabricante e perguntei como limpar o vidro blindex. A moça, com muita calma respondeu: “Isso não limpa. Com o tempo você tem que trocar a peça”. Perguntou quanto tempo eu tinha o box, respondi: “Há 14 anos”. E Ela voltou a dizer que era para eu trocar. Numa boa, a gente paga caro por um box de blindex para durar 10 anos? Porque essas manchas já estão lá há um bom tempo. O fabricante sabe disso, mas não fala nada? Porque quando vende o produto não diz que a vida útil é curta, ao contrário, vende a durabilidade. Esta é a vantagem sobre o acrílico que mancha trinca, amarela. Na venda eles dizem: “comprem o vidro, é mais caro, mas dura a vida inteira, não estraga. é seguro, mais bonito”. etc, etc, etc. Ou alguém já ouviu: “coloque o box de vidro, é mais caro, mas dura 10 anos, depois você tem que trocar, porque não tem como limpar as manchas de gordura do corpo que se acumulam na base”. Então, mais uma vez recomento: quem está com box novo passe o tal impermeabilizante. Não sei se funciona, mas é melhor prevenir.

Mesmo assim, abro aqui o espaço para leitores que tenham conseguido fazer o milagre de conseguir limpar seu box blindex.

Isabela Teixeira da Costa

Exterminei as mosquinhas de banheiro

Nunca pensei que mosquinhas de banheiro dessem tanto Ibope.

Semana passada meu site bombou no dia que escrevi sobre a infestação que estava sofrendo em meu banheiro. Foram mais de 3.6 mil acessos. Estava falando sobre o fato no corredor do meu trabalho, uma colega ouviu e comentou na hora: “mas você falou de um assunto que todo mundo sofre com ele, só que você não disse como acabar com eles”.

Cheguei à conclusão que o incômodo que elas causam é inversamente proporcional à sua procriação. Nunca via tanta gente querendo saber sobre o assunto. Não falei como acabar com as mosquinhas porque não sabia, mas agora estou catedrática. Hoje vou dar a receita certa, depois de testar tudo o que me sugeriram.

Quero agradecer aos leitores que me enviaram uma enxurrada de dicas ensinando a exterminar os benditos insetos. Chegaram por comentários no site, e-mail e WhatsApp.

Fiz tudo o me ensinaram. Uma coisa de cada vez, espaçando nos dias para ver o que seria mais eficaz. Comecei lavando o banheiro todo com produto a base de cloro. Fiz isso depois do banho. Sequei todo o banheiro, do teto ao chão. Deu um trabalhão – tenho que lembrá-los que não tenho mais ajudante – mas não me fiz de rogada, decidi investir para relatar o que daria certo. Em seguida joguei produto com cloro nos ralos, Coloquei fita adesiva no ralo do chão do banheiro. Matei todos os mosquitinhos adultos que existiam. Mesmo assim, no dia seguinte, encontrei uns quatro ou cinco enfeitando as paredes. Novamente matei os adultos, sequei o banheiro. Olhei a fita adesiva e não tinha nenhuma mosquinha presa ali.

O caminho era outro, o ralo da banheira. Fiz o segundo ensinamento: pegar uma escova de lavar vaso sanitário, colocar detergente neutro, esfregar no ralo. Troquei por escova de limpar mamadeira, já que este ralo é menor. Em seguida, jogar uma xícara de vinagre branco misturada com meia xícara de bicarbonato de sódio.

Atenção marinheiros de primeira viagem, façam a mistura sobre o ralo. A inocente aqui preparou tudo ao lado. Quando misturei, não deu tempo de jogar todo o bicarbonato. Quando ele entra em contato com o vinagre, parece um vulcão entrando em erupção. Ainda bem que fui ligeira e derramou só um pouco no chão. Por pouco não perco toda a mistura.

De noite, meu banheiro parecia um viveiro novamente. Enlouqueci. Não entendi nada. Não era para matar? Em vez disso, propcriou? Pensei que a mistura tinha acelerado o desenvolvimento das larvas e pupas. Sai matando as benditas feito uma insana. Mais de 15. No dia seguinte apareceram umas três. Depois, nenhuma sequer. E até hoje, nada. Graças a Deus e à dica da leitora, Wanessa Freitas.

Pelo que entendi, a mistura fez com que todas as mosquinhas adultas, saíssem do esconderijo e matou os ovos, larvas e pupas. Que alívio! Mesmo assim, cinco dias depois, executei a sugestão de outro leitor, o Ricardo Girão: a limpeza é da mesma forma, com a escova e o detergente ou sabão em pó. A higienização é com água sanitária. Só que misturei com água quente, dica que um leitor anônimo. Girão sugere repetir o procedimento a cada três meses, ou quando aparecer alguma mosquinha.

Podem ter certeza, daqui a dez dias jogarei mais uma xícara de vinagre com meia de bicarbonato de sódio, só para sacramentar.

Seguro morreu de velho, como dizia meu avô.

Isabela Teixeira da Costa

Mosquinhas de banheiro

moscaSocorro! Meu banheiro virou um viveiro.

Ainda estou colhendo as consequências dos desleixos de minhas ex-diaristas. Tenho que confessar que a culpa é minha. Priorizei a confiança em detrimento da qualidade do serviço. Afinal, deixo minha casa, o dia todo, nas mãos de uma pessoa. Melhor refazer uma ou outra tarefa e ficar tranquila em relação aos bens e ao trato com meus animais.

Há alguns meses, quando a diarista ainda prestava serviços em minha casa, percebi que estavam surgindo aqueles micro-mosquitinhos, típicos de banheiro. Inofensivos, mas que incomodam.

Cada vez que entrava no banho matava dois ou três. Dois ou três dias depois, me deparava com seis ou sete. Acho que esta é a forma de procriação dos distintos. Quando a gente mata, ele se multiplica. Não tem outra explicação.

Quando dei por mim, em dois meses, meu banheiro tinha virado um verdadeiro viveiro. O bichinho é uma praga. Fiquei pensando como ele aparece, acho que é por osmose. Provavelmente por falta de limpeza, ou limpeza mal feita, mas já tinha um tempo que estava sendo feita por mim. Então surgiu porque a moça não limpava bem e porque não vai embora, agora que mudou a faxineira??

Recorri ao santo google. Estava tudo lá: “Não são mosquitos, são mosquinhas e eles têm hábitos noturnos: as fêmeas botam grupos de 10 a 200 ovos, com eclosão entre 32 a 48 horas. Ovos, larva e pupas são encontrados em locais úmidos, junto a películas orgânicas (formadas por resíduos da descamação natural da pele, cabelos, pelos, fungos, etc.) presentes em banheiros e cozinhas, em ralos, canos de esgoto, junções de vasos sanitários e boxes de banheiro, frestas de azulejos e paredes.

Pronto, era por isso. Nascem novos insetos a cada um dia e meio ou dois dias, em lugares úmidos. O alimento é escama de pele e cabelo. Lugar perfeito, principalmente porque meu cabelo cai demais. Eu limpo o banheiro direitinho, porém, meu box é chuveiro e banheira juntos. Secava o entorno da banheira que fica sempre molhado depois do banho, mas a parede de vidro do box e o chão da banheira, tenho que confessar que não secava.

O ciclo da larva é de aproximadamente 9 a 15 dias e o da pupa em torno de 20 a 40 horas. O processo do ovo ao inseto adulto leva aproximadamente duas semanas, dependendo das condições ambientais e de disponibilidade de alimento. Os adultos vivem cerca de 15 dias.

Se você não quer ter essas moscas voando em seu banheiro, mantenha o local sempre muito limpo. Isso quer dizer lavar bordas de ralos, com uma escovinha, secar o piso após o uso (banhos, etc.) e estancar possíveis infiltrações em pias e vasos sanitários.

Limpeza mais pesada com água sanitária ou produto que contenha cloro em sua fórmula, principalmente nos locais onde o inseto possa se desenvolver, tais como frestas, canaletas de boxes junto ao piso, ralos e qualquer lugar onde haja acúmulo de umidade ou água, é o ideal.

Também é indicado manter azulejos, pisos e vasos sanitários com rejuntes e ligações em dia. O uso de inseticidas comuns é dispensável, pois os produtos no mercado eliminam apenas os insetos adultos e não ovos ou larvas.”

Fiz tudo isso. Lavei todo o banheiro com produto a base de cloro. Sequei tudo muito bem. No dia seguinte, nenhuma mosquinha!!! Repeti o tratamento, mas no outro dia… Três mosquitinhos…

Voltei ao google e agora aprendi mais um pouco. Tenho que limpar dentro dos ralos, tirar cabelos, secar o ralo por dentro, jogar produto tipo água sanitária e ainda colocar fita adesiva como arapuca para o inseto. É uma praga, miudinha, mas trabalhosa.

Se alguém souber como exterminá-las sem precisar chamar Arnold Schwarzenegger, aceito de bom grado.

Isabela Teixeira da Costa